Nova Zelândia planeia vacinar clientes na fila da Pizza Hut ou KFC

O governo da Nova Zelândia está em conversações com a dona das cadeias de restauração como KFC, Pizza Hut e Taco Bell no sentido de promover a vacinação contra a Covid-19 no país. Segundo adianta o The Guardian, a ideia será administrar a vacina aos clientes destes espaços de fast food enquanto esperam na fila pelos seus pedidos.

«Nós só queremos chegar aonde as pessoas estão», explica Grant Robertson, vice-primeiro-ministro da Nova Zelândia, em declarações ao RNZ esta quinta-feira. Na prática, os cidadãos passariam a ter a possibilidade de juntar uma vacina ao seu menu de almoço ou jantar.

Contudo, o plano ainda estará longe de se tornar realidade. Mesmo que as negociações com as cadeias de restauração cheguem a bom porto, há vários pormenores logísticos a ter em atenção, como o facto de algumas pessoas não estarem disponíveis para esperar 20 minutos pela vacina na fila do drive-through – que, tipicamente, seria mais rápida.

Na mesma entrevista, Grant Robertson adiantou ainda que este modelo poderá ser aplicado a outros espaços, mas seguindo sempre a ideia de levar a vacina aos locais onde as pessoas estão e tornando a vacinação mais agradável.

Sobre a possibilidade de oferecer algum tipo de incentivo a quem for vacinado, o vice-primeiro-ministro mostra-se mais hesitante. Diz que os exemplos internacionais não são claros sobre os efeitos desta abordagem e que, além disso, há questões éticas a ter em conta. Ainda assim, há negócios que, por opção própria, estão a promover a vacinação através de ofertas de sanduíches ou cafés, por exemplo, a quem demonstre já ter sido inoculado.

Até ao momento, 72% da população elegível já recebeu pelo menos uma dose da vacina contra a Covid-19. Somente pouco mais de 38% das pessoas da Nova Zelândia que podem ser vacinadas é que têm este processo finalizado.

Ler Mais


Comentários
Loading...