Nem à terceira foi de vez. Deputados voltam a chumbar proposta do Chega para ‘vice’ do Parlamento

Os deputados na Assembleia da República chumbaram, esta quinta-feira, o nome de Rui Paulo Sousa, proposto pelo partido Chega, para ocupar um dos cargos de vice-presidente do Parlamento.

É a terceira vez que o partido liderado por André Ventura apresenta um nome para ‘vice’, mas ainda não foi desta que conseguiu o apoio necessário. Em votações anteriores, Diogo Pacheco de Amorim e Gabriel Mithá Ribeiro também ouviram o ‘não’ do hemiciclo.

Rui Paulo Sousa, que é também vice-presidente da bancada do Chega, recebeu 64 votos a favor, 137 brancos e com a oposição de toda a bancada do Partido Socialista. Para ser aprovado, teria de conquistar 116 votos favoráveis. O Regime da Assembleia da República determina que os quatro partidos com maior representação podem propor nomes, de entre os seus eleitos, para, assumir a vice-presidência do Parlamento, pelo que a votação de hoje deixou o candidato do Chega bem longe do objetivo.

Ainda assim, Rui Paulo Sousa conseguiu mais votos a favor do que os dois candidatos anteriores. Pacheco de Amorim só recebeu 35 votos favoráveis e Mithá Ribeiro 37 aprovações.

A votação acontece no mesmo dia em que o líder parlamentar dos sociais-democratas, Joaquim Miranda Sarmento, ter apelado aos seus colegas que votassem favoravelmente à proposta do Chega. Contudo, nem todos os deputados do PSD seguiram o apelo.

Mesmo que todos os deputados do Chega (12), da Iniciativa Liberal (8) e do PSD (77) tivessem votado a favor de Rui Paulo Sousa, teria recolhido apenas 97 votos favoráveis, longe da maioria exigida.

A Mesa da AR tem quatro lugares de vice-presidentes, mas desde março que apenas a socialista Edite Estrela e o social-democrata Adão Silva foram eleitos, com o Chega e a IL a falharem as eleições.

Ler Mais



loading...
Comentários
Loading...