Metropolitano de Lisboa diz que adesão à greve parcial foi de 45,37%

A adesão à greve parcial que hoje afetou a circulação do metropolitano de Lisboa foi de 45,37%, anunciou a empresa em comunicado.

“Na sequência da greve parcial convocada pelas organizações sindicais para hoje, dia 28 de outubro, no período compreendido entre as 05h00 e as 09h30 para a generalidade dos trabalhadores, e entre as 09h30 e as 12h30 para os Administrativos e Técnicos Superiores, o Metropolitano de Lisboa informa que o índice global de adesão à mesma atingiu 45,37% em relação ao número total de trabalhadores escalados (908 trabalhadores) para os referidos períodos”, pode ler-se na informação enviada às redações.

O Metropolitano de Lisboa declara estar “recetivo à discussão das propostas apresentadas pelas entidades sindicais, sendo as mesmas objeto de negociação”.

A mesma ação, recorde-se aconteceu novamente na passada terça-feira, devido à reivindicação de uma série de medidas e dado que as negociações salariais com a empresa têm falhado.

“A greve não é só contra o congelamento salarial, vamos mais longe. Defendemos uma total reposição de efetivos, que está por cumprir”, explicou, em declarações à agência Lusa, Anabela Carvalheira, da Federação dos Sindicatos dos Transportes e Comunicações (FECTRANS).

O pré-aviso de greve foi entregue em 6 de outubro “devido à falta de respostas às questões colocadas, quer em reuniões com o ministro do Ambiente, quer com o presidente do ML- Metropolitano de Lisboa”.

De recordar que os trabalhadores do metro realizaram greves parciais ao serviço em maio e junho tendo em conta as mesmas reivindicações apresentadas para a nova paralisação.

O Metropolitano de Lisboa opera com quatro linhas: Amarela (Rato-Odivelas), Verde (Telheiras-Cais do Sodré), Azul (Reboleira-Santa Apolónia) e Vermelha (Aeroporto-São Sebastião), das 06:30 às 01:00 todos os dias.

Ler Mais


Comentários
Loading...