Merkel e Governo francês ao lado de Trump contra as redes sociais

Donald Trump recebeu apoio de Alemanha e França depois de ter sido bloqueado em várias redes sociais, incluindo Twitter e Facebook.

A chanceler alemã, Angela Merkel, opôs-se às decisões dos gigantes digitais, pedindo aos legisladores para definirem as regras sobre a liberdade de expressão em detrimento das empresas privadas de tecnologia.

“A chanceler vê o bloqueio nas redes de um Presidente eleito como um problema”, disse Steffen Seibert, porta-voz de Merkel, citado pela Bloomberg.  “Direitos como a liberdade de expressão podem ser restringidos, mas por lei – não de acordo com uma decisão empresarial”, explicou Seibert.

A posição da líder alemã foi apoiada pelo ministro das Finanças de França, Bruno Le Maire, que afirmou caber ao Estado e não “à oligarquia digital” a regulamentação quanto à liberdade de expressão. Além disso, classificou as redes sociais como “uma das ameaças atuais à democracia”.

O Twitter baniu Trump permanentemente na semana passada, depois de decidir que os tweets do presidente cessante violavam as regras em matéria de violência verbal, na sequência da invasão do Capitólio por parte de apoiantes de Donald Trump na semana passada.

A mudança ocorreu após ação semelhante do Facebook. O fundador e CEO, Mark Zuckerberg, disse que as palavras mais recentes de Trump mostravam que o ainda ocupante da Casa Branca pretendia usar o seu tempo restante no cargo para minar uma transição de poder pacífica e legal.



Notícias relacionadas
Comentários
Loading...