Grupo de cerca de 200 migrantes tenta atravessar fronteira entre Polónia e Bielorrússia

Um grupo de cerca de 200 migrantes tentou romper a barreira na fronteira entre a Polónia e a Bielorrússia na noite de quarta-feira, anunciaram hoje autoridades citadas pela ‘Reuters’.

O incidente, perto da vila polaca de Czeremcha, marcou mais um confronto diário entre grupos de migrantes e as forças militares dos dois países, que a União Europeia diz fazer parte de uma “guerra híbrida” de Minsk destinada a destabilizar o bloco e retaliar contra as sanções impostas.

“Estavam a tentar cruzar a fronteira, atacando a barreira”, disse a porta-voz da Guarda de Fronteira, Anna Michalska à Reuters. “Estavam a atirar galhos e pedras e a tentativa foi impedida pelos nossos militares”, afirmou.

Michalska disse que os migrantes achataram uma zona da barreira com a ajuda de troncos, na tentativa de atravessar. Cinco pessoas foram transportadas para o hospital por exaustão e cansaço.

Isto acontece numa altura em que as tensões aumentam, numa crise que várias potências regionais já alertaram que pode espalhar-se para um conflito mais amplo.

O presidente da Bielorrússia, Alexander Lukashenko, exigiu esta quinta-feira à UE que pague os voos de repatriação dos quase 2 mil migrantes indocumentados há mais de três semanas na fronteira bielorrussa-polaca.

“Querem voltar, por favor. Colocámo-los no aeroporto. Não enviaram um avião hoje?”, assinalou o chefe de Estado numa reunião no Palácio da Independência sobre as emendas à Constituição que estão a ser preparadas por um grupo de trabalho.

Lukashenko queixou-se de que a União Europeia (UE) tem destinado “milhões” de euros a assistência humanitária urgente para os migrantes indocumentados que se encontram na Bielorrússia mas que “aqui nem chegou um cêntimo”.

Ler Mais


Comentários
Loading...