Fundo de Coesão garante 60 milhões para autocarros elétricos na região de Coimbra

Um investimento de 60 milhões de euros, vindos do Fundo de Coesão, foi aprovado pela Comissão Europeia e será destinado à adaptação do antigo ramal ferroviário da Lousã à circulação de autocarros elétricos, no âmbito de 2021, o Ano Europeu do Transporte Ferroviário.

Segundo a representação da Comissão em Portugal, o projeto em causa destina-se a veículos que vão ligar “os municípios de Coimbra, Miranda do Corvo e Lousã até à vila de Serpins”.

Citada pela mesma fonte, Elisa Ferreira, comissária da Coesão e Reformas, indicou que “este projeto vai proporcionar aos cidadãos de Coimbra e da região de Coimbra os serviços de transporte que merecem: limpos, seguros e eficientes. Será oferecido um serviço de transporte público mais atraente, que reduzirá os tempos de viagem e a poluição, e melhorará o conforto e a qualidade do ar.”

Esta nova linha vai servir também para simplificar “a ligação do centro de Coimbra e da zona do hospital e da universidade, na parte norte da cidade, às zonas periféricas a sudeste”. Os cálculos revelados pela representação da Comissão em Portugal apontam no sentido de que “13 milhões de passageiros venham a utilizar anualmente o novo sistema de transportes, pelo que o projeto contribuirá para reduzir o congestionamento, o ruído associado ao tráfego e as emissões de carbono e de gases com efeito de estufa”.

Os dados revelados indicam ainda que os “novos autocarros estarão integrados num sistema multimodal com um título único de transporte, o que tornará o seu uso mais atraente”, prevendo-se que tudo esteja a funcionar “no início de 2024”.





Notícias relacionadas
Comentários
Loading...