FMI melhora estimativa de crescimento da zona euro para 4,4% em 2021

O Fundo Monetário Internacional (FMI) aumentou hoje ligeiramente a previsão de crescimento para a zona euro em 2021 para 4,4%, uma vez que se espera que a Europa beneficie das consequências do pacote de estímulos dos EUA.

Contudo, o fosso está a aumentar entre a zona euro e os Estados Unidos, que sairão mais rapidamente da crise da pandemia graças a uma vacinação mais rápida, porque o plano Biden de 1,9 biliões de dólares terá um impacto mais maciço e rápido na economia norte-americana, adianta o FMI.

A previsão hoje anunciada para a zona euro é 0,2 pontos percentuais superior à publicada em janeiro, mas espera-se que o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA aumente 6,4% este ano, uma revisão em alta, de 1,3 pontos percentuais.

A Alemanha deverá crescer 3,6% (mais 0,1 pontos do que estimado em janeiro), a França 5,8% (mais 0,3 pontos), a Itália 4,2% (mais 1,2 pontos) e a Espanha 6,4% (mais 0,5 pontos).

O Reino Unido, que deixou o mercado interno europeu no início de janeiro, beneficia, tal como os Estados Unidos, de uma perspetiva melhorada graças a uma campanha de vacinação mais rápida do que na Europa continental.

O PIB britânico deverá crescer 5,3% este ano, de acordo com o FMI, que aumentou a sua estimativa em 0,8 pontos percentuais face à de janeiro.

Enquanto a economia chinesa alcançou o seu nível pré-pandemia em 2020, espera-se que a economia dos EUA o faça este ano.

Mas, “na zona euro e no Reino Unido, a atividade deverá permanecer abaixo dos níveis do final de 2019 até 2022”, estima o FMI.

“Estas diferenças podem ser explicadas pelas diferenças nas políticas […] de saúde pública em resposta à pandemia, flexibilidade e adaptabilidade da atividade económica à baixa mobilidade, tendências pré-existentes e rigidez estrutural anteriores à crise”, observa a organização internacional, sem mais pormenores.

Espera-se que o plano Biden estimule a economia dos EUA durante 2021-22, “com efeitos colaterais significativos para os principais parceiros comerciais dos Estados Unidos”, disse o FMI.

Em 2022, o FMI prevê um crescimento de 3,8% para os 19 países da zona euro (mais 0,2 pontos em comparação com a estimativa anterior).

Mas este último só marginalmente alcançaria o atraso face aos Estados Unidos, cujo PIB deverá crescer 3,5% (valor revisto em alta de um ponto).

Ler Mais




Notícias relacionadas
Comentários
Loading...