Eletricidade: Fatura média dos clientes do mercado liberalizado baixa 35% em 2022

Os preços da eletricidade na fatura dos consumidores do mercado liberalizado vão reduzir cerca de 35%, em termos médios, anuncia a ERSE – Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos.

Esta redução deve-se à descida acentuada dos preços de acesso às redes (pagas por todos os consumidores pela utilização das infraestruturas e que estão incluídas nos valores das faturas dos clientes). Observam-se reduções significativas em todos os níveis de tensão, entre os 52,2% e os 94%.

A ERSE sublinha que o “impacto nos consumidores em mercado liberalizado depende das tarifas de Acesso às Redes, mas também da componente de energia adquirida por cada comercializador. Adicionalmente, a proposta garante a sustentabilidade económica do Sistema Elétrico Nacional (SEN), reduzindo-se significativamente o valor da dívida no final de 2022, para o valor de 1,7 mil milhões de euros.

“Esta circunstância justifica que os comercializadores revejam normalmente os seus tarifários no mês de janeiro de cada ano”, alerta.

Famílias do mercado regulado sofrem ligeiro aumento (mas descida em relação a dezembro)

Já no que toca às famílias que se mantêm no mercado regulado, os preços vão aumentar 0,2% para os clientes finais. Este aumento vai refletir-se na fatura dos consumidores que permaneçam no mercado regulado (que representam 5% do consumo total e 921 mil clientes) ou que, estando no mercado livre, tenham optado por tarifa equiparada.

A ERSE esclarece que este aumento é relativo ao preço médio do ano 2021 e que, em janeiro de 2022, os consumidores vão observar, na verdade, uma redução de 3,4% em relação aos preços em vigor em dezembro de 2021.

No que diz respeito às famílias que beneficiam de tarifa social, em 2022 vão usufruir de um desconto de 33,8% sobre os preços dos clientes finais.

Consulte o simulador da ERSE 

Ler Mais


Comentários
Loading...