«Dentro de 10 a 20 anos, estaremos a morrer por infeções de bactérias resistentes a antibióticos», diz cientista

Edith Heard, à frente do Laboratório Europeu de Biologia Molecular (EMBL), teme que os antibióticos possam estar na origem de uma nova crise sanitária. Em entrevista ao El País, a cientista britânica alerta para os perigos que a Humanidade poderá enfrentar no futuro: «Dentro de 10 a 20 anos, estaremos a morrer por infeções de bactérias resistentes a antibióticos.»

De acordo com Edith Heard, a esperança média de vida do Ser Humano duplicou ao longo dos últimos 100 anos graças a inovações como os antibióticos e as vacinas. No entanto, «se não fizemos algo, dentro de 20 anos, os antibióticos que hoje existem não serão capazes de tratar as infeções que teremos». Será mesmo, na sua opinião, «a próxima pandemia».

A líder do EMBL afirma que a resistência dos antibióticos está a aumentar muito rapidamente e que isso não acontece somente nos hospitais. «Podemos ver resistência aos antibióticos nas bactérias do oceano», adianta Edith Heard.

E, para já, não há qualquer suspeita quanto ao motivo desta aceleração: «Não sabemos, essa é a grande pergunta. Se pudéssemos entender por que razão ocorre, poderíamos preveni-lo.»

Na mesma entrevista, a cientista conta que o organismo que dirige tinha realizado uma apresentação antes da pandemia em que já dava conta do risco de uma crise semelhante, embora não apontassem diretamente para o SARS-CoV-2. «Sabíamos que estes assuntos são muito urgentes. E então chegou a pandemia», refere, garantindo que não se tratava de uma profecia: «Esse é o tipo de grandes questões que queremos entender, como emergem pandemias.»





Comentários
Loading...