Crise energética: Alemanha prepara plano de emergência para o inverno de 200 mil milhões de euros

O governo alemão está a preparar um plano de emergência para garantir o abastecimento de energia durante os meses mais frios do ano, numa altura em que a segurança energética do país ficou ainda mais ameaçadas depois das fugas registadas esta semana nos gasodutos Nord Stream.

Ciente de que o inverno poderá ser um dos mais duros dos últimos anos, o executivo liderado pelo Chanceler Olaf Scholz tem um plano de 200 mil milhões de euros para fazer frente à escassez energética, recorrendo a verbas que estavam destinadas a mitigar os impactos da pandemia de Covid-19. Dessa estratégia, constam medidas como limites máximos aos preços da eletricidade e do gás, bem como apoios para as empresas.

Avança o ‘El Economista’ que esse plano endividará ainda mais a Alemanha, que está já a braços com uma inflação crescente, que em agosto se estabelecia nos 7,9%.

“Os preços têm de descer”, afirmou Scholz, esta quinta-feira, em Berlim, destacando que, para isso, serão tomadas medids abrangentes de proteção de reformados, empregados, famílias, “as pessoas do campo e da cidade, para que todos possam seguir em frente e possam pagar as suas faturas”.

O governo alemão garante que o pacote de medidas não influencia as metas nacionais para o endividamento do país no próximo ano, e que foi concebido para proteger a economia sem agravar a taxa de inflação.

“A Rússia não está apenas a usar armas na guerra da Ucrânia, mas está também a converter o seu fornecimento de energia numa arma ao nível internacional”, acusou Scholz.

Ainda hoje, o regulador energético alemão alertou que as famílias e as empresas na última semana consumiram gás acima do esperado, à medida que as temperaturas começam a cair com a chegada do outono. E avisa que são precisas poupanças de pelo menos 20% para evitar falta de combustível durante o inverno.

Ler Mais



loading...

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.