Covid-19: Vacina da Moderna pode gerar maior risco de inflamação cardíaca, diz CDC

A informação foi transmitida esta terça-feira pela autoridade de saúde norte-americana, no mesmo dia em que o regulador do medicamento vai decidir sobre a utilização da vacina da Moderna para idades entre os 6 e os 17 anos.

Citando dados do sistema ‘Vaccine Safety Datalink’, o Centro para o Controlo e Prevenção do Estados Unidos (CDC) avança que foram registados 97,3 casos de inflamação cardíaca por cada milhão de indivíduos do sexo masculino entre os 18 e os 39 anos que receberam a segunda dose da vacina da Moderna, de acordo com a agência ‘Reuters’. Os números para a Pfizer são de 81,7 casos de miocardite ou pericardite por cada milhão de homens vacinados com a segunda dose.

Os dados apresentados levam o CDC a afirmar que a vacina da Moderna representa um maior risco de inflamação cardíaca, comparativamente à concorrente desenvolvida pelos laboratórios da Pfizer. Contudo, a autoridade de saúde norte-americana aponta que os resultados não eram consistentes em todos os sistemas de monitorização da segurança da vacina nos EUA.

Esta segunda-feira, o regulador norte-americano do medicamento, a FDA, divulgou um relatório no qual destacou a segurança e a eficácia para utilização em crianças com menos de cinco anos, que é o único grupo etário que ainda não está elegível para receber a vacina anti-Covid-19 de qualquer laboratório.



Comentários
Loading...