Covid-19: Paciente americano retirado de lista para transplante por não estar vacinado

O caso decorre num hospital em Boston, nos EUA, e está a indignar a família de DJ Ferguson, como é conhecido o homem, de 31 anos, que estava no primeiro lugar da lista para receber um coração novo. Ao que explicou o pai, David Ferguson, citado pelo New York Post, o filho está a lutar pela vida e precisa desesperadamente do transplante. “Só não acredita na vacina”, alegou. “É contra os seus princípios”, disse, lamentando que o filho, às portas da morte, esteja a ser discriminado por se manter fiel às suas ideias.

Já o Brigham and Women’s Hospital, o segundo maior hospital universitário da Harvard Medical School, em Boston, argumenta que, até agora, toda a investigação foi clara ao demonstrar que os recetores de transplantes corriam um risco muito maior de morrer de Covid-19 – em comparação com os pacientes não transplantáveis.

“Fazemos tudo o que podemos para assegurar que um paciente que recebe um órgão transplantado tenha a maior hipótese de sobrevivência”, disse um porta-voz da instituição, citado pelo mesmo NY Post, argumentando ainda que são vacinas recomendadas pelo Centro de Controlo de Doenças dos EUA. “A que a decisão prende-se com a melhor hipótese de a operação ser bem sucedida e assim otimizar a sobrevivência do paciente após o transplante”.

Agora, a família de Ferguson está a ponderar transferi-lo para um hospital que não tenha uma política de vacinação tão rígida. Mas não esconde o que os aflige: que o homem, com dois filhos e a mulher grávida de um terceiro, internado desde novembro, quando os pulmões começaram a encher-se de sangue e líquido devido a uma doença hereditária do coração, esteja já demasiado fraco para ser transferido. “Estamos a perseguir agressivamente todas as opções”, assumiu o pai, David, “mas sabemos que o nosso tempo está a esgotar-se”.

Recorde-se que DJ Ferguson não é o primeiro paciente a quem é negado um transplante devido ao seu estado de vacinação. Em outubro, soube-se que uma mulher do Colorado fora retirada da lista para transplante renal porque nem ela – nem o seu doador – tinham sido vacinados.

Também outro homem, Mike Ganin, do estado do Ohio, viu ser-lhe negado um transplante de rim, no final do verão. No caso, era o doador que não estava vacinado.

Ler Mais


Comentários
Loading...