Covid-19: Outros países da UE podem bloquear exportações de vacinas, esclarece Ursula von der Leyen

A Presidente da Comissão Europeia avisou hoje que outros países poderão seguir o exemplo de Itália e bloquear as exportações de vacinas da covid-19 e disse esperar um reforço na entrega pelas farmacêuticas no segundo semestre.

O caso do bloqueio da exportação de 250.000 doses da vacina para a Austrália pelo Governo italiano “não foi um caso isolado”, disse Ursula von der Leyen, numa entrevista a um diário alemão.

Roma invocou, na quinta-feira, a escassez de doses na União Europeia (UE) e uma situação não urgente na Austrália como argumento para a decisão de não autorizar a exportação de um lote de 250 mil doses da vacina desenvolvida pela AstraZeneca/Oxford e que tinham sido produzidas com essa finalidade numa fábrica da farmacêutica em Itália.

Numa outra entrevista a outro jornal alemão, Von der Leyen, salientou esperar que quase 100 milhões de doses por mês da vacina da covid-19 sejam entregues no segundo trimestre na UE, onde os programas de imunização estão a decorrer a um ritmo muito lento.

“Esperamos uma média de quase 100 milhões de doses por mês no segundo trimestre e um total de 300 milhões até ao final de junho”, sublinhou Ursula von der Leyen.

A presidente da Comissão salientou esperar que 50 milhões de doses sejam entregues ainda em março, sendo que até agora a UE – com uma população de quase 748 milhões de habitantes – recebeu apenas 51,5 milhões de doses de vacinas desde o final de dezembro.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.593.872 mortos no mundo, resultantes de mais de 116,7 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 16.565 pessoas dos 810.459 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Ler Mais




Notícias relacionadas
Comentários
Loading...