Covid-19: Nem Inglaterra, nem Alemanha. Portugal lidera casos importados em Espanha

Ao contrário do que era previsível, o maior número de casos de covid-19 em Espanha com origem em países estrangeiros não vem do Reino Unido ou da Alemanha. É Portugal o maior responsável pelas infeções importadas por Espanha.

Os dados foram hoje revelados pelo Ministério da Saúde espanhol, citados pelo jornal El Periodico. Os britânicos só aparecem em terceiro lugar, pertencendo o segundo ao México.

Portugal tem sido nas últimas quatro semanas a principal origem de casos importados, num total de 394 infeções. Segue-se o México com 100 e o Reino Unido com 81, Colômbia com 73 e Malta com 69.

De acordo com o jornal espanhol, não são os únicos dados surpreendentes em Espanha relacionados com os casos positivos estrangeiros, uma vez que a Galiza ultrapassa as Ilhas Baleares em número de casos importados, apesar de as ilhas serem um destino turístico por excelência.

As próprias autoridades espanholas manifestaram “espanto” e “estranheza” quando confrontados com estes dados, sendo que as Baleares, ao registarem um muito maior afluxo de viajantes, teriam maior probabilidade de importação de casos positivos de covid-19.

Tendo em conta os casos notificados pelas comunidades autónomas à Rede Nacional de Vigilância Epidemiológica, a Andaluzia é a região com maior número de casos importados, seguido de Madrid e Canárias.

De acordo com os dados mais recentes, divulgados ontem pelo Governo espanhol, a incidência acumulada de infetados por covid-19 em Espanha subiu para 644 casos por cada 100 mil habitantes nas últimas duas semanas, tendo sido registadas 30.587 novas infeções e 18 mortes anteontem.

O nível relativo de contágios teve uma subida de 22 unidades, o mesmo do dia anterior, tendo a incidência acumulada passado dos 622 casos (terça-feira) para 644 (hoje) diagnosticados por cada 100.000 habitantes nas últimas duas semanas.

As comunidades autónomas espanholas com os níveis mais elevados são a Catalunha (1.240), Navarra (926), Castela e Leão (916), Aragão (825), Baleares (692), Astúrias (682) e Cantábria (618).

A faixa etária entre os 20 a 29 anos continua a ser a que tem a incidência acumulada mais elevada, tendo hoje subido para 1.867 pessoas infetadas por cada 100.000 habitantes, nos últimos 14 dias (1.838 na terça-feira).

Ler Mais




Comentários
Loading...