Covid-19: Mais de 99% das pessoas que morreram entre janeiro e julho não tinham vacinação completa

Do total de pessoas que morreram em Portugal por covid-19 entre 10 de janeiro e 11 de julho, 99,4% não tinham a vacinação completa contra o vírus.

Dos 4,3 milhões de pessoas que completaram a vacinação até 11 de julho, apenas 57 morreram com a doença, ou seja, representam 0,6% do total de mortes neste período, revela o jornal Público com base em números enviados pela Direcção-Geral da Saúde (DGS).

De acordo com o jornal, a DGS conclui que estes dados indicam que a vacinação reduz entre três a seis vezes o risco de morte por covid-19.

No período em questão, morreram 9.231 pessoas, das quais só 57 tinham vacinação completa contra o vírus. Destas mortes, 82% (47) ocorreram em idosos com 80 ou mais anos, 14% (oito) em pessoas com idade entre os 65 e os 79 anos e, por último, 4% (duas) em pessoas entre os 50 e os 64 anos, escreve o jornal que fez a contabilização dos dados.

“Estes resultados demonstram a protecção da vacinação completa contra a covid-19 para a doença grave e morte, e são complementados pelos dados de efectividade do Insa, que demonstram a protecção da vacinação contra a infecção por SARS-CoV-2”, escreve a DGS.

Desde que começou a vacinação até 11 de Julho tinham sido internadas 107 pessoas com vacinação completa, ou seja, apenas 0,002% de todos os inoculados. A maioria das pessoas internadas com vacinação completa (74%) tinham 80 ou mais anos, escreve ainda o jornal.

Ler Mais


Comentários
Loading...