Covid-19: China abre a porta a investigadores da OMS

A China acabou por permitir a entrada da equipa de investigadores da OMS que iniciará as pesquisas sobre a origem e consequente proliferação da covid-19, conforme revela o diário The Guardian.

Segundo a autoridade nacional de saúde chinesa, os especialistas irão chegar a 14 de janeiro, mas não está claro se estes cientistas terão acesso a Wuhan, acrescenta a publicação britânica.

O objetivo inicial da equipa era entrar na China no início de janeiro, mas Pequim bloqueou a sua chegada, argumentando que os vistos ainda não estavam aprovados, embora alguns membros do grupo já estivessem a caminho.

O Ministério chinês dos Negócios Estrangeiros considerou o atraso um “mal-entendido”. Na ocasião, o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, expressou o seu desânimo e disse que havia pedido à China que permitisse a entrada da equipa: “Estou muito dececionado com esta notícia, visto que dois dos cientistas já iniciaram as suas viagens e os outros não puderam viajar no último minuto ”, afirmou Ghebreyesus.

Após a declaração do responsável da OMS, o Ministério dos Negócios Estrangeiros da China emitiu um comunicado, indicando que “o país está aberto a uma visita, mas ainda trabalha em procedimentos necessários e planos concretos relevantes”.

Além disso foi referido que “os especialistas em doenças da China estão atualmente ocupados com vários grupos de pequena escala e surtos relatados nas últimas semanas”, acrescentou a porta-voz do ministério, Hua Chunying.

A OMS tem tentado enviar uma equipa de especialistas de vários países há meses. A organização manteve conversações com autoridades chinesas desde julho. Vários países, incluindo a Austrália, pediram uma investigação sobre as origens do vírus.

Enquanto outros países continuam a lutar contra surtos da infeção, a China tem combatido agressivamente as várias vagas. Os 103 novos casos de domingo foram o maior aumento diário em mais de cinco meses, com o crescimento de novos casos na província de Hebei, próxima de Pequim.





Notícias relacionadas
Comentários
Loading...