Covid-19: Bruxelas assegura que UE vai ter aumento “significativo” de vacinas em breve

A comissária europeia da Saúde e Segurança Alimentar, Stella Kyriakides, assegurou hoje, em videoconferência de imprensa, que as entregas de vacinas contra a covid-19 “vão aumentar significativamente nos próximos meses” na União Europeia (UE).

“As entregas de vacinas vão aumentar significativamente nos próximos meses e estamos a aguardar ainda a aprovação de uma quarta vacina pela Agência Europeia do Medicamento nas próximas semanas”, garantiu hoje Stella Kyriakides, referindo-se à vacina da Johnson & Johnson, cujo pedido de autorização por parte da UE foi efetuado a 16 de fevereiro.

A comissária, que falava em conferência de imprensa conjunta com a ministra da Saúde, Marta Temido, e com o vice-presidente executivo da Comissão Europeia Margaritis Schinas, após uma reunião com os ministros dos 27 Estados-membros da UE, alertou, contudo, que “a produção das vacinas deve continuar para que não haja lacunas” no processo de vacinação.

Nesse sentido, a responsável pela pasta da Saúde do executivo comunitário garantiu que “a task- force industrial da Comissão Europeia está a trabalhar para maximizar a capacidade de produção das vacinas”.

Além disso, é importante que as empresas farmacêuticas cumpram os acordos celebrados com a Comissão Europeia, vincou a comissária, apontando para a Astrazeneca, que tem vindo a registar “atrasos em relação às quantidades contratadas”.

Por outro lado, Kyriakides garantiu ainda que a Comissão Europeia está “pronta, se necessário, para negociar novos acordos de aquisição de vacinas contra as novas variantes”.

Isto porque, de acordo com a responsável, “a covid-19 já não é um vírus desconhecido”, dado que já há “informação muito rica sobre as suas patologias”. O desafio, agora, disse, está em “enfrentar as mutações do vírus”.

A comissária europeia participou hoje na reunião, por videoconferência, dos ministros da Saúde dos 27 Estados-membros da UE, presidida pela ministra da Saúde, Marta Temido, no âmbito da presidência portuguesa do Conselho da UE.

Durante a reunião, que contou também com presença do vice-Presidente da Comissão Europeia Margaritis Schinas e de representantes da Agência Europeia do Medicamento (EMA) e do Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças (ECDC), discutiram-se as novas variantes da covid-19, bem como uma nova abordagem à testagem e os processos de vacinação nos países.

Ler Mais




Notícias relacionadas
Comentários
Loading...