Covid-19: Autoridades europeias em conflito com a Pfizer/BioNTech

Depois de a Pfizer e a BioNTech terem reduzido o número de vacinas que entregam aos países europeus, as autoridades de saúde de vários Estados-membros foram forçadas a abrandar os planos de vacinação, situação perante a qual a Itália já anunciou que irá avançar com uma ação judicial, noticia o Financial Times (FT).

A Agência Europeia do Medicamento anunciou este mês que cada frasco entregue por estes laboratórios pode fornecer seis doses em vez de cinco, quantidade que a maior parte dos profissionais de saúde europeus têm retirado de cada frasco.

Relata o FT que “as autoridades de saúde em toda a Europa alertaram que a mudança nos volumes entregues as deixou incapazes de respeitar os compromissos de vacinação junto de quem foi vacinado pela primeira vez em dezembro e no início deste mês”.

As autoridades italianas já anunciaram que estas medidas impostas pelas farmacêuticas implicaram uma queda de 29% no número de doses da vacina da Pfizer/BioNTech que estavam a ser entregues, acabando por prejudicar “gravemente o plano de vacinação nacional”.

Domenico Arcuri, comissário extraordinário, responsável pelo combate à covid-19, na Itália, avisou que o país está a preparar uma ação judicial contra a Pfizer “nos próximos dias”. “A campanha de vacinação não pode ser abrandada, principalmente no que diz respeito à aplicação de segundas doses a italianos que já receberam a primeira”, concluiu Arcuri.

A Pfizer fez saber, através de um comunicado enviado ao Financial Times, que “todos os contratos celebrados com os governos europeus sempre implicaram entregas de doses numeradas e não de frascos”.

Até agora a Agência Europeia do Medicamento não se manifestou quanto a estes conflitos.





Notícias relacionadas
Comentários
Loading...