Administração de Biden pondera mudar as regras do jogo com as empresas chinesas

A Administração Biden está a equacionar levar a cabo uma série de alterações às regras adotadas por Trump, que impediam empresas sediadas na China, com ligações às forças armadas desse país, de serem cotadas em bolsa.

De acordo com o ‘Politico’, Joseph Borson, advogado do Departamento de Justiça dos EUA, levantou essa questão esta segunda-feira, no tribunal do Distrito de Columbia, a propósito da tentativa levada a cabo pelo Pentágono de proibir as transações de títulos em empresas que se acreditava estarem relacionadas como o governo chinês ou com as forças militares do país.

Duas das empresas afetadas responderam à interdição com processos judiciais, os quais a administração Biden tem agora de enfrentar.

Uma das empresas alvo da proibição conseguiu ultrapassar esse impedimento, depois de ter conseguido argumentar em tribunal que o Departamento de Defesa não apresentava justificações satisfatórias para provar essa ligação às forças militares.

Questionado pelo juiz sobre se o Departamento de Defesa está a trabalhar para resolver os problemas legais provenientes da atuação de Trump, Joseph Borson respondeu que o “Governo está a considerar as suas opções”.

“Estamos a estudar como responder à luz das questões levantadas pelas decisões deste tribunal”, referiu o advogado, em declarações a Rudolph Contreras.

Ler Mais




Notícias relacionadas
Comentários
Loading...