A história incrível da atleta afegã que conseguiu fugir e competir nos Paralímpicos

Zakia Khudadadi, a atleta de taekwondo afegã que temeu não conseguir sair do seu país para competir nos Jogos Paralímpicos, acabou por conseguir escapar aos talibãs e apresentou-se em prova nesta quinta-feira.

Zakia é primeira atleta do país a competir no evento desde a edição de Atenas, em 2004, tendo competido na categoria K44 de menos de 49 quilos.

A jovem, de 23 anos, ganhou notoriedade no seu país depois de vencer o um campeonato africano em 2016. Depois do controlo do seu país por parte dos talibãs, a atleta fez um apelo na internet para que a ajudassem a fugir.

“A minha vontade é participar dos Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020, por favor, dêem-me a mão e ajudem-me. Não permitam que os direitos de uma cidadã afegã no movimento paralímpico sejam retirados assim tão facilmente”, escreveu, após todos os voos comerciais serem cancelados.

Outro atleta afegão, Hossain Rasouli competiu na terça-feira, também após uma fuga secreta. Ambos chegaram quatro dias depois do início dos Jogos Paralímpicos, tendo sido retirados secretamente através Paris, seguindo depois viagem para o Japão.
Nenhum dos dois fala em público e ambos estão dispensados de dar entrevistas ou conferências de imprensa para protegerem a sua privacidade.

No final de agosto, a seleção afegã de futebol feminino também conseguiu deixar Cabul num voo organizado pela Austrália.

Ler Mais


Comentários
Loading...