Portugal com “nota positiva” na proteção do ambiente. Está em 48.º lugar (de 180) na lista dos países com melhor desempenho, aponta índice

O Índice de Desempenho Ambiental (EPI) das universidades de Yale e Columbia atribui ao país uma cotação de 50,40 pontos, numa escala de 100, mas revela que a prestação lusa caiu 1,60 pontos nos últimos 10 anos. A avaliação de 2006 mostrava que Portugal ocupava o 11.º lugar, com 82,9 pontos

Avaliando as “credenciais” ambientais de 180 países, o índice dessas duas instituições de Ensino Superior norte-americanas, ambas parte da exclusiva Ivy League, colocou a Dinamarca no primeiro lugar, com 77,90 pontos. No fim da lista, com os piores resultados, aparece a Índia, com 18,90 pontos.

Na subcategoria de “Vitalidade dos ecossistemas”, Portugal sobe para 63.º lugar, com 49,60 pontos, com uma variação positiva de 1,80 pontos face à última década. Na “Saúde”, sobe ainda mais, para a 23ª posição, com uma melhoria de 9,10 pontos comparando com 2012.

Contudo, Portugal cai para 100.º lugar na subcategoria “Política climática”, com 37,60 pontos e uma variação negativa de 10,90 pontos relativamente aos últimos 10 anos, indicando que o país ainda tem caminho a percorrer no combate ao aquecimento global e às alterações climáticas. A Dinamarca, o Reino Unido e a Finlândia estão no primeiro, segundo e terceiro lugares da lista, respetivamente.

No que toca à “Gestão de resíduos”, Portugal surge em 27.º lugar, com 62,50 pontos e uma melhoria de 3,40 pontos.



Comentários
Loading...