China afirma que Japão “devia pedir desculpa” pela descarga para o mar de água da central nuclear de Fukushima

O Governo japonês confirmou ontem que vai avançar com a descarga para o mar de mais de um milhão de metros cúbicos de água armazenada na antiga central nuclear de Fukushima, de acordo com  a Reuters.

A China opôs-se à decisão do Japão, classificando-a como “extremamente irresponsável” e afirmando mesmo que “o Japão devia pedir desculpa” por esta medida.

De acordo com a mesma fonte governamental, a primeira descarga será feita nos próximos dois anos, o período necessário para que a empresa Tokyo Electric Power construa as infraestruturas necessárias, de forma a filtrar os isótopos radioativos e ainda receber aprovação das entidades reguladoras.

As autoridades japonesas justificam a necessidade da descarga com os planos de desativação do complexo, cujos reatores ficaram danificados na sequência do terramoto seguido de tsunami em 2011.

“Libertar a água tratada é um processo inevitável para desativar a central nuclear de Fukushima Dai-ichi e reconstruir a área de Fukushima”, sustentou Yoshihide Suga, primeiro-ministro japonês.

Enquanto as nações vizinhas da Coreia do Sul e da China se opuseram à descarga, os EUA notaram que a decisão do Japão foi tomada com o conhecimento e em estreita cooperação com a Agência Internacional de Energia Atómica.

“Nesta situação única e desafiante, o Japão teve em consideração as alternativas e riscos, tendo sido transparente com a decisão (…)”, afirmou fonte do Departamento de Estado norte-americano em comunicado.

Ler Mais




Notícias relacionadas
Comentários
Loading...