Carros elétricos: 70% dos pontos de carregamento europeus estão em três países. Portugal ocupa o 14.º lugar da UE

Quase três quartos dos pontos de carregamento de automóveis elétricos da União Europeia estão localizados em apenas três países, o que revela uma Europa a duas velocidades no que diz respeito ao setor elétrico.

A European Automobile Manufacturers ‘Association (ACEA), que representa os construtores de automóveis europeus, divulgou este estudo e alerta que que os países mais pobres têm menos pontos de carregamento e correm o risco de não acompanhar as regras impostas por Bruxelas, que irão impulsionar o aumento das vendas de automóveis elétricos no final desta década.

Em Portugal, que neste estudo se situa em 14.º lugar dos países com mais pontos, há mais de 1400 locais onde é possível carregar veículos elétricos e híbridos plug-in. No entanto, subsistem ainda 77 concelhos onde ainda não há como carregar o carro.

O estudo da ACEA conclui que 70% de todos os postos de carregamento da UE estão concentradas em apenas três países da Europa Ocidental: Holanda (66.665), França (45.751) e Alemanha (44.538). Juntos, esses países representam apenas 23% da superfície total da UE. Em contraste, os outros 30% da infraestrutura estão espalhados por 77% da área da UE.

Para ilustrar como a distribuição de pontos de carregamento é assimétrica, existe o exemplo da Roménia – quase seis vezes maior que a Holanda – que conta apenas com 493 pontos de carregamento, ou seja, 0,2% do total da UE.

Enquanto a Comissão Europeia se prepara para rever a Diretiva da Infraestrutura de Combustível Alternativo daqui a duas semanas, a ACEA pede que sejam impostas metas obrigatórias pata cada estado-membro – não apenas para pontos de carregamento para carros elétricos.

Com base nos cálculos da Comissão, uma nova redução das emissões de CO2 dos automóveis para menos 50% em 2030 exigiria cerca de seis milhões de pontos de carregamento públicos. Seria preciso um aumento de 27 vezes o número atual de pontos de carregamento em menos de uma década.

Comprar carro elétrico já é a opção mais barata

Os carros elétricos dos segmentos pequeno e médio são já os que mais compensam no que diz respeito a poupança. ‘O carro elétrico foi o que apresentou um custo de posse e utilização mais baixo’, concluiu um estudo da DECO Proteste.

A associação de Defesa do Consumidor analisou vários parâmetros de compra e manutenção dos veículos e concluiu que os “os carros elétricos do segmento pequeno e médio comprados hoje em Portugal são a opção mais barata para muitos consumidores e a melhor escolha ao longo da vida do veículo. A poupança e a sustentabilidade ambiental também estão garantidas na compra de um carro elétrico”

A DECO chegou à concussão de que os veículos elétricos são já a melhor opção para a carteira, mesmo excluindo os incentivos de compra dados pela legislação em vigor.

“Com apoios e financiamento adequados, os consumidores conseguem poupar desde o primeiro dia. No caso dos modelos maiores, os elétricos só começam a ser competitivos nesta análise a partir de 2023, com a redução expectável do custo de aquisição e a aproximação aos veículos idênticos de outras tecnologias”, explica ainda a associação.

Ler Mais


Comentários
Loading...