Ativistas da Extinction Rebellion colam-se (literalmente) à sede da Comissão Europeia

Um grupo de cerca de 40 manifestantes concentraram-se esta segunda-feira em frente à sede do executivo europeu, em Bruxelas, para exigir mais ação para combater a deterioração ambiental e que o “ecocídio” seja enquadrado como um crime. “Exigimos uma lei sobre o ecocídio!”, escreve o movimento ambientalista no Twitter.

Desse grupo, uma dezena de membros da organização não-governamental (ONG) Extinction Rebellion, um grupo de ambientalistas conhecido por ações diretas que procuram fazer com que ninguém possa ignorar a crise climática que hoje vivemos, colou-se, literalmente, às portas da entrada da sede da Comissão Europeia, na capital belga.

Os manifestantes pedem que o “ecocídio”, conceito que descreve a destruição sistemática e metódica de ecossistemas ou de grupos vegetais ou animais, seja constituído como o quinto crime internacional previsto pelo Estatuto de Roma do Tribunal Penal Internacional. A ONG lamenta que a nova proposta de crimes ambientais avançada pelos comissários europeus da Justiça e do Ambiente não inclua o ecocídio.

“O ecocídio é um crime e os perpetradores devem ir para a prisão”, assevera a Extinction Rebellion, acrescentando que “hoje temos uma oportunidade histórica para o reconhecimento do ecocídio como um crime ao nível da UE”.

Ao ‘Politico’, uma das ativistas contou que “queremos que os países da UE criminalizem o ecocídio”, acrescentando que “não podemos esperar mais, porque a perda de biodiversidade continua”. “Precisamos de começar a agir”, alerta.

Outro ativista diz que a ação simbólica de hoje tem também como objetivo levar o Conselho Europeu, composto pelos líderes dos 27 Estados-Membros da UE, a colocar a crise climática na ordem de trabalhos das reuniões que estão agendadas para esta quinta-feira e sexta-feira.

“Infelizmente, hoje se queremos ser ouvidos, não há muitas opções que não sejam o recurso à desobediência civil”, argumentou outro ativista.

As forças policiais presentes junto à sede da CE terão começado a descolar e a remover os manifestantes da entrada do edifício, o que levou alguns membros do executivo, que entravam nas instalações, a comentarem: “Por que razão é que estão a prendê-los?” e “Se eles [ativistas] não fizerem nada, quem irá fazê-lo?”.

De acordo com publicação no Twitter, 20 ativistas teriam sido presos pela polícia, mas estarão já em liberdade.

Ler Mais


Comentários
Loading...