Alforrecas gigantes de 40 quilos estão a aparecer em praias espanholas

Tal como em Portugal, a presença de alforrecas é comum nas praias espanholas nos meses de verão. Mas este ano, os veraneantes das praias espanholas de águas mais quentes do Mediterrâneo foram surpreendidos com alforrecas gigantes, algumas com quase 40 quilos.

O fenómeno, que foi mostrado por vários banhistas nas redes sociais, é raro e tem intrigado todos os habitantes da cidade espanhola de Motril, embora tenha havido avistamentos em Huelva, Almería e Málaga, como relata o La Vanguardia.

Ao que tudo indica, segundo biólogos e outros especialistas, estes seres não são perigosos para a saúde, mas podem causar irritação cutânea em caso de contacto e por isso o melhor é mesmo não tocar.

Por cá, ainda não há registo de avistamentos semelhantes, mas todos devem ser reportados através da aplicação GelAvista, programa responsável pela monitorização dos organismos gelatinosos em toda a costa portuguesa, lançado em Fevereiro de 2016 pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera.

A última atualização foi feita no passado dia 30 de julho:

Estes organismos, muitas vezes de cores brilhantes e atrativas, escondem perigos e por isso devem ser reportados.

Entre eles encontra-se a caravela portuguesa, de aspecto semelhante a uma alforreca, mas mais perigosa: a sua picada é muito dolorosa e pode evoluir para uma reação alérgica grave.

As alforrecas, também conhecidas por águas-vivas ou medusas, são igualmente organismos dos quais os humanos se devem afastar, sendo que todos os anos várias pessoas são picadas em Portugal, com diferentes graus de severidade na reação alérgica

Os veleiros são organismos que podem formar agregados densos, cobrindo a superfície da água, e vastas áreas de areal quando dão à costa. Os seus tentáculos são pequenos e ligeiramente urticantes, sendo aconselhável evitar o contacto direto.

E se sofrer uma picada, o que deve fazer? Siga os conselhos do IPMA:

No caso de picada pela caravela portuguesa:
• Após lavar e limpar com água do mar a zona afetada:
• Aplicar compressas de água quente (40º C) durante cerca de 20 minutos ou aplicar vinagre sem diluir
• Se estiver em choque, com dificuldades em respirar ou a dor persistir, consulte o seu médico ou farmacêutico

No caso de picada por medusa ou água viva:
• Após lavar e limpar com água do mar a zona afetada
• Aplicar compressas de gelo durante cerca de 15 minutos
• Se a dor persistir, consulte o seu médico ou farmacêutico

Ler Mais


Comentários
Loading...