Sofre de eczema? Estas são as 5 coisas que precisa de saber

Também conhecido como dermatite atópica, o eczema trata-se de uma reação inflamatória da pele, muitas vezes associada a outras doenças alérgicas como a asma ou rinite. Este é um problema cada vez mais frequente em Portugal, conhecido por causar secura e irritações em certas zonas localizadas da pele.

Pode atingir indivíduos de todas as idades, mas é mais frequente na infância. Em Portugal, estima-se que afete 10% das crianças, mas só 1 a 2% apresenta queixas graves. Na maior parte dos casos, a tendência é para que os sintomas desapareçam ou diminuam com o crescimento.

[Leia também: Toda a verdade sobre… a Curcuma. Conheça os seus benefícios e propriedades únicas]

Tal como explicou o Dr. João Abel Amaro ao portal Lusíadas, o eczema pode ter origem em diversos fatores. “Pode resultar de uma predisposição genética aliada a fatores desencadeantes e fatores de manutenção”, conclui o especialista.

Em situações mais graves, o eczema pode causar um enorme desconforto e inclusive pode obrigar a uma ida às Emergências. Eis 5 coisas importantes que deve saber sobre esta doença.

 

  1. Não é curável. Mas pode ser tratado

Ao longo das décadas o estudo sobre esta doença têm evoluído muitíssimo. No entanto não existe ainda propriamente nenhuma cura capaz de eliminar este problema do organismo para sempre. Os especialistas têm estado sobretudo focados em encontrar novas terapias e tratamento que sejam capazes de suavizar e controlar os efeitos negativos do eczema.

Atualmente estes tratamentos passam por uma mistura entre a aplicação de diversos cremes tópicos conjugados com uma medicação oral, sempre que necessário.

  1. Pode afetar a sua vida pessoal e saúde mental

As pessoas que sofrem de dermatite atópica têm um risco maior (2.5-3 vezes mais) de desenvolverem também sintomas de ansiedade e depressão.

A qualidade do sono pode ser também um problema grave, na medida em que a comichão pode manter os pacientes acordados durante toda a noite. Nestes casos mais severos, os efeitos podem ser devastadores para o resto da família, para um relacionamento e, claro, para o bem-estar da pessoa em questão. Esta é uma doença capaz de afetar tremendamente a confiança e autoestima.

  1. Exige tempo e atenção

A aplicação dos diversos cremes necessários pode demorar algum tempo. Muitos pacientes chegam a ter de despender cerca de 2 horas por dia nestes tratamentos. Dependendo do estado da pele e dos sintomas que estão a sentir os pacientes são obrigados a utilizar certos tipos de produtos, óleos e cremes que ajudem a controlar o eczema. Isto exige uma constante atenção e monitorização da progressão das inflamações, adaptando constantemente o tratamento conforme seja necessário.

  1. Pode dar origem a perigosas infeções

Ao coçar a pele, as pessoas que sofrem de eczema podem estar a contribuir para a rutura da pele, provocando assim diversas infeções. Em certos casos mais graves estas infeções podem evoluir rapidamente, colocando em risco o bem-estar dos pacientes. Aqui poderá ser necessário uma intervenção médica que consiga travar o evoluir da infeção.

  1. É diferente de pessoa para pessoa

O tratamento deste tipo de condição médica é sempre bastante variável. O que funciona para uns, não funciona para outros. Algumas pessoas, por exemplo, conseguem controlar melhor os seus sintomas no Verão, outras no Inverno. Os próprios cremes podem deixar de fazer tanto efeito passado algum tempo, sendo então necessário encontrar novas alternativas.

A dieta e o estilo de vida podem também agudizar ou menorizar os efeitos mais negativos do eczema. Certos alimentos mais processados podem prejudicar a saúde da pele. Alguns tipos de fragrâncias e de materiais podem criar reações alérgicas. Cada pessoa é assim obrigada e entender bem a sua situação e identificar todos os possíveis fatores de risco.

 

[Leia também: 5 mitos (perigosos) sobre o corpo humano que deve esquecer]

 



Notícias relacionadas
Comentários
Loading...