Pode um “simples” escaldão prejudicar a sua saúde? Conheça os exemplos mais assustadores

É certo que este verão vai ser diferente de todos os outros. A pandemia alterou os planos de férias de milhões de famílias um pouco por todo o mundo. No entanto, apesar de todos os cuidados e restrições muitos vão ser aqueles que vão querer apanhar um pouco de sol.

Depois de meses de confinamento será certamente importante ir para o exterior espairecer e relaxar um pouco. Esta será uma excelente ideia desde que cumpra todas as precauções, claro.

Leia também: Covid-19. 4 hábitos que deve continuar a cumprir durante o desconfinamento

Sendo certo que este verão o seu foco vai ser mais o uso de máscara e gel desinfetante isso não deve significar que se esquece do tradicional uso de protetor solar. Todos sabemos bem o quão desconfortável pode ser ficar com um escaldão, assim como sabemos que este tipo de situações pode contribuir para a formação de melanomas.

No entanto muitos desconhecem outros tipos de problemas de saúde graves que podem ser provocados por este excesso de exposição solar desprotegida. A pele não é o único órgão que pode sofrer com esta situação. Eis alguns dos exemplos mais preocupantes.

 

  1. Dores de cabeça incapacitantes

Se costuma já sofrer ocasionalmente de dores de cabeça ou enxaquecas então saiba que a sobre-exposição ao sol pode piorar ainda mais o problema. Mesmo que não tenha este tipo de historial a exposição solar pode gerar este tipo de desconforto.

  1. Pode fazer a língua inchar

Os lábios são feitos de pele, como tal podem também sofrer com um escaldão. Quando este tipo de situação é muito intensa então é possível que isto inclusive faça a língua inchar ou cause o aparecimento de bolhas. A dificuldade em respirar é igualmente um sintoma que pode estar associado a esta situação. É fundamental que se lembre de hidratar os seus lábios com produtos que contenham proteção SPF.

  1. Destrói o sistema imunitário

Quando a pele sofre uma queimadura solar uma das consequências mais imediatas é o “corte” na libertação de células de Langerhans. Estas células imunitárias são um dos primeiros agentes do organismo que ajudam a combater certas infeções da pele. Sem esta ação o corpo torna-se mais vulnerável. De acordo com os estudos, não é apenas a área afetada pela queimadura que é afetada, todo o corpo parece sofrer com esta situação.

  1. Acentua ou ativa o herpes

Sem saberem muitas pessoas acabam por contrair o vírus do herpes na sua infância, ficando este num estado de latência até que surjam certos fatores que o ativem. Ficar muito tempo exposto ao sol é exatamente uma das coisas que deve evitar. Tal como explicou a OMS, esta exposição enfraquece o sistema imunitário, acabando por facilitar a ativação do vírus.

  1. Representa um risco para a fertilidade e gravidez

Demasiado tempo ao sol pode diminuir as chances de uma mulher conseguir engravidar, tal como explicou um estudo publicado no Journal of Photochemistry and Photobiology. Uma excessiva exposição solar dá origem a níveis mais baixos de ácido fólico. Situação esta que está associada a danos no tubo neural e abortos espontâneos. Para além de evitar o beber e fumar enquanto estão gravidas, as mulheres devem assim proteger-se do sol. Uma “simples” queimadura solar pode impactar negativamente a saúde do bebé, tal como alerta o portal online PhysicianOne.

 

[Leia também: 5 benefícios (surpreendentes) do tomate para a sua saúde]

 

 



Notícias relacionadas
Comentários
Loading...