Os gatos têm personalidade? Eis os 5 principais fatores que a podem influenciar

Vamos ser sinceros: os gatos têm a reputação de serem pouco simpáticos. Estes felinos são conhecidos pela sua independência e autonomia, ao contrário dos cães – mais conhecidos pelo seu constante desejo de atenção.

No entanto, tal como nos humanos, a personalidade destes animais pode variar muito. Alguns são mais agressivos, outros mais receosos ou ansiosos. Estes detalhes influenciam não apenas a sua saúde mental, mas também a física. Gatos mais medrosos tendem a ter uma função imunitária mais baixa, que contribui para o aparecimento de certas doenças. Já os gatos mais corajosos tendem a acumular um maior risco de infeções devido ao contacto mais agressivo com outros animais.

[Leia também: Os animais não são coisas e têm direitos. Conheça todas as obrigações dos donos]

Recentemente uma equipa de investigadores procurou aprofundar o conhecimento que possuímos sobre a personalidade destes felinos. Através de uma análise exaustiva de dezenas de estudos realizados nos últimos 30 anos, procurou-se identificar alguns dos fatores que mais contribuem para a formação da personalidade dos gatos domésticos.

Eis algumas das principais conclusões.

 

  1. Socialização no começo da vida

A fase inicial de socialização de um gatinho varia entre as 2-12 semanas de vida. Este é considerado um período essencial para o desenvolver de um gato saudável, amigável e sociável. Estes traços de personalidade parecem ficar definidos pelo até o final dos primeiros dois anos, no entanto não se compreende ainda exatamente se estes efeitos se mantêm intactos ao longo de toda a vida adulta do animal ou se existe alguma modificação.

 

  1. Diferenças de raças

As diferentes raças existentes podem ajudar a prever o tipo de temperamento do animal. Este é um dos fatores mais determinantes, sendo transmitido de forma hereditária. Uma das raças em particular – British Shorthair – é bastante conhecida por ser pouco sociável, muito inativa e pouco agressiva. Um animal de companhia perfeito para qualquer indivíduo mais introvertido.

 

  1. Gene recetor da oxitocina

Este é um dos genes mais responsáveis pela conexão que se estabelece entre um humano e um cão, sendo igualmente capaz de prever a o estilo social de um gato. Um tipo particular de polimorfismo tem sido associado a um comportamento mais rebelde e agressivo nos gatos, caracterizando-se por atitudes mais “dominantes, irritáveis.

 

  1. Herança paternal

Uma série de estudos parecem indicar que existe uma ligação bastante direta entre a personalidade dos pais e filhos. Mesmo sem qualquer tipo de socialização na infância um estudo conclui que os gatos pequenos que tinham pais mais amigáveis para os seres humanos, acabavam também eles por aceitar a presença dos seres humanos.

 

  1. Atividade neurológica

Os gatos apresentam dois tipos distintos de atividade agressiva, dependendo da ativação de algumas áreas do hipotálamo. Por um lado, temos um estilo de “agressividade defensiva” que se caracteriza por certos tipos de vocalizações e posturas em resposta a uma qualquer provocação. Por outro, uma “agressividade predatória” que se reflete em ataques surpresa e silenciosos. Os mecanismos neuronais que regulam outros tipos de expressões de personalidade são, no entanto, ainda pouco conhecidos.

 

 

[Leia também: Proteger animais em vias de extinção? Estes pequenos gestos podem ajudar]

 



Notícias relacionadas
Comentários
Loading...