Já a pensar no peru de Natal? Conheça os cuidados que deve ter na sua confeção

Todos temos um prato favorito de Natal. Seja algo mais doce ou mais salgado, existe sempre algo em especial pelo qual aguardamos todo o ano. Para muitas pessoas essa refeição especial passa pelo tradicional peru.

Um pouco por todo o mundo milhões pessoas cozinham esta ave durante o mês de dezembro. No entanto a esmagadora maioria destes indivíduos não possui um curso culinário profissional, pelo que cozinhar um peru inteiro pode ser um enorme desafio. Pequenos erros podem prejudicar o sabor e até aumentar o risco de uma qualquer intoxicação alimentar.

[Leia também: Qual é a maneira melhor e mais saudável de cozinhar os alimentos?]

A carne mal cozinhada é uma das principais razões que pode causar esta situação. É fundamental que siga todas as principais recomendações e regras de segurança alimentar de forma a evitar qualquer tipo de contaminação indesejada.

Eis 5 coisas que podem ajudar a garantir que cozinha o peru na perfeição e em segurança.

 

  1. Descongelar corretamente

A carne nunca deve ser descongelada em cima das bancadas da cozinha à temperatura ambiente. Este é um erro comum que pode ter graves consequências. Deixar a carne a este tipo de temperatura durante mais de duas horas pode aumentar consideravelmente o risco de contaminação e formação de bactérias.

A forma mais segura de descongelar passar por colocar a carne no frigorifico. É certos que pode demorar bastante mais horas, no entanto é a solução ideal. Como alternativa pode tentar colocar a carne num saco de plástico fechado dentro de um recipiente com água fria ou fazer uso das funções do micro-ondas.

 

  1. Não lave o peru

Qualquer pessoa que entre em contacto direto com carne crua pode arriscar uma contaminação de perigosas bactérias, como a salmonela. Sobretudo para os adultos com mais de 65 anos esta situação pode dar origem a sintomas sérios. De forma a minimizar este risco deve lavar frequentemente as mãos ao longo de todo o processo de confecção. Tente não lavar a carne crua no lavatório pois esta pode contaminar as superfícies e produtos adjacentes. Utilize sempre uma tabua de corte única e limpa para cortar a carne, não misture com outros ingredientes.

 

  1. Deixe a carne cozinhar totalmente

Um peru mal-cozinhado pode acabar contaminado com uma série de bactérias, vírus e germes capazes de fazer alguém ficar doente. A única garantia de segurança é ter a certeza de que a carne foi cozinhada a pelo menos 80 graus durante o tempo necessário. Ao longo da cozedura no forno é fundamental que vá inclusive medindo a temperatura da carne com ajuda de um termômetro.

 

  1. Atenção aos restos

Uma das melhores partes do Natal é fazer uma sesta, jogar jogos ou conviver com a família após a refeição principal. Um erro comum é deixar a carne e os pratos fora do frigorifico durante este período, por acreditar que mais cedo ou mais tarde vamos voltar a querer comer. Infelizmente até a carne já cozinhada nunca deve ser deixada à temperatura ambiente durante mais de 2 horas. As bactérias formam-se rapidamente e nem o facto de voltar a aquecer a comida no micro-ondas vai ajudar a eliminá-las. Mal acabe o almoço ou jantar coloque tudo novamente no frigorífico.

 

  1. Atenção à forma como guarda os restos

Todos os restos de carne que não consuma imediatamente devem ser preservados no frigorífico a uma temperatura inferior a 4 graus. É recomendado que corte o peru em várias pequenas partes e as coloque dentro de recipientes herméticos. De resto, deve ter sempre em atenção o tempo que deixa estes restos no frigorifico. A carne cozinhada de peru pode ficar no frigorífico durante 3-4 dias e no congelador durante 4-6 meses.

 

 

[Leia também: 10 “factos” sobre a alimentação que na verdade são mitos? Conheça-os aqui]

 

 



Notícias relacionadas
Comentários
Loading...