Inimigos de Salazar: dos heróis esquecidos aos nomes sonantes

O socialista tornou-se um dos símbolos da luta contra o Estado Novo, mas o livro Inimigos de Salazar, da historiadora Irene Flunser Pimentel, reúne todos os nomes que arriscaram a liberdade, o trabalho e a vida na sua oposição à ditadura.

Dos nomes mais sonantes aos heróis esquecidos, republicanos e monárquicos, militares e civis, comunistas e socialistas, fascistas e católicos, estudantes e operários, todos tentaram derrubar Salazar. E falharam. Irene Flunser Pimentel reúne nesta obra “uma história de pessoas, que se tornaram mais ou menos personalidades, e da sua atividade política levada a cabo em ditadura, na clandestinidade, na cadeia, na deportação e no exílio”. Tal como Mário Soares.

Ao longo de 496 páginas, a historiadora revisita a oposição militar (Sousa Dias, Norton de Matos, Paiva Couceiro, Henrique Galvão, Humberto Delgado, Júlio Botelho Moniz, Varela Gomes), a oposição civil (Cunha Leal, Bento Gonçalves, Emídio Santana, Rolão Preto, Álvaro Cunhal, Mário Soares, Edmundo Pedro, Palma Inácio), intelectuais e artistas (António Sérgio, Jaime Cortesão, Piteira Santos, Agostinho da Silva, Maria Lamas, Zeca Afonso, Alexandre O´Neill e Miguel Torga).

Os planos, as lutas e as conspirações; os golpes, as revoltas e as greves; as prisões, as evasões, as deportações e os assassinatos. Esta é a história dos muitos homens e mulheres que se ergueram contra aquele que foi o rosto do Estado Novo em Portugal.

Género: História

Páginas: 496

Editora: Clube do Autor

PVP: 22 €

 





Notícias relacionadas
Comentários
Loading...