Estas pessoas conseguiram prever os impactos da pandemia. Quem será agora capaz de delinear o seu fim?

Ao longo dos anos diversos foram os especialistas que analisaram os possíveis impactos de uma pandemia global, capaz de “suspender” toda a economia mundial e de levar ao colapso os serviços de saúde.

Ficou famosa a intervenção de Bill Gates em 2015 numa conferência TED Talk. Nesta apresentação o milionário, explicou detalhadamente como uma nova pandemia poderia ser absolutamente devastadora para a sociedade globalizada. No entanto – apesar do que muitos parecem pensar – não foi a única pessoa que expressou a sua preocupação sobre este tema.

[Leia também: Covid-19. 5 mitos (perigosos) sobre a vacina que deve mesmo esquecer]

Sobretudo desde 2014 que outras personalidades, desde políticos a cientistas, procuravam alertar a população e os governos para esta possibilidade aterradora. O portal BestLife reuniu 5 intervenções que provavelmente todos deveríamos ter escutados com uma maior atenção.

Agora resta-nos esperar que outros especialistas sejam também capazes de nos ajudar a planear e prever o fim desta pandemia, encontrando soluções de futuro que nos permitam viver no futuro de uma forma mais segura e confortável.

 

  1. Bill Gates

“Por pior que esta epidemia (Ebola) possa parecer, a próxima será bem pior e o mundo simplesmente não está preparado para lidar com um novo vírus tão contagioso”. Este foi o aviso deixado por Bill Gates na sua TED Talk em 2015. Se na altura esta afirmação passou um pouco ao lado da atenção da maioria das pessoas, a verdade é que agora poucas são as pessoas que já não tenham visto o vídeo em que Gates explica esta aterradora possibilidade. Tudo parece agora estranhamente familiar. Desde essa altura que o norte-americano procurou continuar a sensibilizar vários governantes – incluindo Donald Trump – para esta possibilidade. Ninguém pareceu estar disponível para melhorar a preparação para este tipo de crise de saúde e agora todos conseguimos perceber o quão irresponsável isso foi.

  1. Barack Obama

Sim, até Obama deixou um alerta para esta situação. Em 2014 avisou o país de que era necessário redobrar os esforços para estarmos melhor preparados para enfrentar uma próxima pandemia. Isto para garantir que quando “uma nova estirpe de Gripe, como a Espanhola, apareça daqui a 5 ou 10 anos, já tenhamos feito o investimento”. Obama procurou sensibilizar para a necessidade de se aprovar um forte investimento na área da Saúde e da Ciência, de forma a reduzir os impactos de uma próxima doença fatal que se dissemine com facilidade pelo ar.

  1. U.S Intelligence Community

Esta organização agrega o contributo de diversos investigadores, agências inteligência e das próprias Forças Armadas norte-americanas. Anualmente cria um relatório que apresenta alguns dos riscos mais preocupantes para a segurança dos americanos. Em 2019, as conclusões eram claras. “Acreditamos que os EUA e o resto do mundo vão continuar vulneráveis a uma próxima pandemia ou surto contagioso, capaz de causar um número avultado de mortes e uma enorme disrupção na economia mundial”, explicaram os especialistas.

  1. Jeremy Konyndyk

Este antigo diretor da Agência Norte-Americana para o Desenvolvimento Internacional escreveu em 2017 um artigo na revista Politico que explicava que era apenas uma questão de tempo até que um novo vírus semelhante à Gripe Espanhola nos afetasse a todos novamente. Neste texto alertava para o facto de estarmos mal preparados para enfrentar essa situação. “Um novo vírus altamente contagioso e mortal – tal como a Gripe Espanhola de 1918 – irá surgir”, previu o especialista em 2017.

  1. Robert G. Webster

O especialista e virologista Robert G. Webster alertou em 2019 para uma possível futura pandemia. No seu livro “Flu Hunter: Unlocking the Secrets of a Virus” (publicado em Fevereiro de 2019) explicou que “a Natureza vai desafiar novamente a espécie humana com um vírus semelhante ao da Gripe Espanhola de 1918”. Apesar de não apresentar em detalhe as características desta nova estirpe, Webster foi capaz de avisar claramente que não estaríamos preparados para a enfrentar.

 

[Leia também: Covid-19. 5 coisas que nunca teria feito antes da pandemia]

 



Notícias relacionadas
Comentários
Loading...